Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

AUTORIDADE ESPIRITUAL

Os discípulos não tinham qualquer preparo espiritual, nem sequer eram ungidos com o Espírito Santo para curar os enfermos, ressuscitar mortos, purificar leprosos e expelir demônios, mas a ordem havia sido dada. O sucesso da missão dependia apenas de obediência à ordem de Jesus. Eles creram e, por isso, obedeceram. Atitudes de obediência provaram sua fé e os milagres aconteceram. Conclui-se, então, que fé é questão de obediência à Palavra.


As pessoas espirituais têm consciência de que o ministério da fé não funciona de acordo com as doutrinas religiosas. Não depende de ter ou não conhecimentos teológicos para a obra de Deus se desenvolver. Mas, de simples obediência à Palavra Divina.


Essa é a condição básica para a manifestação do Poder de Deus. A partir da prática da ordem Divina, o Espírito de Deus traz à existência as coisas que não existem.


Os benefícios da fé nada têm a ver com méritos, tempo de igreja, batismo com o Espírito Santo, batismo nas águas, etc. Têm a ver, sim, com a obediência. Abraão foi considerado homem puro e justo por conta de sua coragem em obedecer a Deus.

Fonte: http://bispomacedo.com.br/

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

COMO RECEBER OFENSAS?

Perto de Tóquio vivia um grande samurai, já idoso, que agora se dedicava a ensinar o zen aos jovens. Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário. Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Era famoso por utilizar a técnica da provocação: esperava que seu adversário fizesse o primeiro movimento e, dotado de uma inteligência privilegiada para reparar os erros cometidos, contra-atacava com velocidade fulminante. O jovem e impaciente guerreiro jamais havia perdido uma luta.


Conhecendo a reputação do samurai, estava ali para derrotá-lo, e aumentar sua fama. Todos os estudantes se manifestaram contra a idéia, mas o velho aceitou o desafio.

Foram todos para a praça da cidade, e o jovem começou a insultar o velho mestre. Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou todos os insultos conhecidos, ofendendo inclusive seus ancestrais. Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível. No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro retirou-se.

Desapontados pelo fato de que o mestre aceitar tantos insultos e provocações, os alunos perguntaram:

- Como o senhor pode suportar tanta indignidade? Por que não usou sua espada, mesmo sabendo que podia perder a luta, ao invés de mostrar-se covarde diante de todos nós?

- Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente? – perguntou o Samurai.

- A quem tentou entregá-lo – respondeu um dos discípulos.

- O mesmo vale para a inveja, a raiva, e os insultos – disse o mestre. Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo.

“A sua paz interior, depende exclusivamente de você. As pessoas só podem lhe tirar a calma, se você permitir”.


Fonte: http://iurdjapao.blogspot.com/2010/09/como-receber-ofensas.html

sábado, 18 de setembro de 2010

QUE TIPO DE PESSOAS??

Conta uma popular lenda do Oriente, que um jovem chegou à beira de um oásis, junto a um povoado e, aproximando-se de um velho, perguntou-lhe:




- Que tipo de pessoas vive neste lugar?


- Que tipo de pessoa vive no lugar de onde você vem? – Perguntou pôr sua vez o ancião.


- Oh! Um grupo de egoístas e malvados – replicou-lhe o rapaz – estou satisfeito de haver saído de lá.


A isso o velho replicou:


- A mesma coisa você haverá de encontrar pôr aqui.


No mesmo dia, um outro jovem se acercou do oásis para beber água e vendo o ancião perguntou-lhe:


- Que tipo de pessoas vive pôr aqui?


O velho respondeu com a mesma pergunta:


- Que tipo de pessoas vive no lugar de onde você vem?


O rapaz respondeu:


- Um magnífico grupo de pessoas, amigas, honestas, hospitaleiras. Fiquei muito triste pôr ter de deixá-las.


- O mesmo encontrará pôr aqui. – respondeu o ancião.


Um homem que havia escutado as duas conversas perguntou ao velho:


- Como é possível dar resposta tão diferente à mesma pergunta?

Ao que o velho respondeu:


- Cada um carrega no seu coração o meio ambiente em que vive. Aquele que nada encontrou de bom nos lugares pôr onde passou, não poderá encontrar outra coisa pôr aqui. Aquele que encontrou amigos ali, também os encontrará aqui. Cada um encontra na vida exactamente aquilo que traz dentro de si mesmo. O ambiente, o presente e o futuro somos nós que criamos e isso só depende de nós mesmos.

Fonte: http://perolasqueedificam.blogspot.com

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O Jovem e a Estrela



Numa praia tranquila, junto a uma colónia de pescadores, morava um escritor.



Todas as manhãs, ele ficava passeando pela praia, olhando as ondas. Assim, ele se inspirava e à tarde ficava em casa escrevendo. Um dia, caminhando pela areia, ele viu um velho que parecia dançar. Chegou mais perto e viu que era um jovem, pegando na areia as estrelas do mar, uma por uma e jogando de volta ao oceano,


E aí? – disse o jovem num sorriso, sem parar o que fazia.


- Por que você está fazendo isso? Perguntou-lhe o escritor, curioso.


- Não vê que a maré baixou e o sol está brilhando forte? Se essas estrelas ficarem aqui na areia vão secar no sol e morrer!


O escritor até que achou bonita a intenção do garoto, mas deu um sorriso e comentou:


- Só que existem milhares de quilómetros de praia por esse mundo afora, meu caro. Centenas de milhares de estrelas-do-mar devem estar espalhadas por todas essas praias, trazidas pelas ondas. Você aqui, jogando umas poucas de volta ao oceano, que diferença faz?… O jovem olhou para o escritor, pegou mais uma estrela na areia, jogou na água do mar, voltou a olhar para ele e disse:


- Para essa, eu fiz diferença.


Naquela tarde, o escritor não conseguiu escrever. À noite, mal conseguiu dormir. De manhãzinha, bem cedo foi para a praia.


O jovem pegava as primeiras ondas do dia com sua prancha e logo veio também para a areia. Juntos com o sol, ainda manso e começando a subir, começaram a jogar estrelas-do-mar de volta ao oceano.


” Você deve fazer diferença na vida. Passar pela vida e viver. Participar da Criação e contribuir com alguma coisa.”


Para fazer diferença no mundo, você não precisa ser um líder político, um génio da ciência ou uma super estrela. Cada um no seu campo, tem seu modo de criar e actuar positivamente na vida. Não copie o jeito do outro, e não faça aquilo que os outros querem que você faça: você precisa actuar com o seu próprio jeito, o seu talento, acreditar e gostar realmente do que faz.

sábado, 11 de setembro de 2010

A FÉ SENTIMENTAL.

SAIBA DIFERENCIÁ-LA


"O meu justo viverá pela fé..."(Hb. 10:38),

A Bíblia Sagrada descreve exemplos de pessoas que viveram pela fé como Abraão, Isaque e Jacò, pois foram homens que conquistaram coisas magníficas, maravilhosas, usando exclusivamente o poder da fé. Aliás, foi para isso que o Senhor Jesus, através do Espírito Santo, colocou à nossa disposição a fé sobrenatural: para que venhamos a conquistar a plenitude de vida. Quando criou o ser humano, Deus deu-lhe poder, porém o homem caiu e logo foi expulso do paraíso. Mesmo assim, Ele não o abandonou.

Muitas pessoas dizem que têm fé em Deus há anos, porém é preciso avaliar aquilo que se tem apresentado a Deus através de suas vidas. Até porque não é Deus quem avalia tal oferta para depois abençoar. Não! Ele nos concedeu a fé e é ela quem determina a benção em nós. Se a oferta emotiva que apresentamos a Ele é oriunda de uma fé do coração, cheia de sentimentos, então vamos ficar vendo as Suas promessas apenas como miragens que jamais irão acontecer.

Amigo leitor, saiba que as promessas divinas são conquistadas mediante o poder sobrenatural da fé, não de uma fé sentimental, porque os sentimentos anulam o verdadeiro poder que vem do alto. É por isso que muitas pessoas têm fé em Deus, mas não são abençoadas, mas jamais verão os benefícios desta fé. Sabe por quê? Porque a fé que possuem é uma fé sentimental, que depende dos sentimentos, das circunstâncias.

Lembra do que está escrito em Mateus 14, 27? Jesus vinha andando sobre as águas e os discípulos pensaram tratar-se de um fantasma. Foi quando o Senhor Jesus acudiu-lhes: "Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais!" E imediatamente Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus"(Mt.14,28,29). A princípio, Pedro usou a fé sobrenatural, pois obedeceu à voz e creu na palavra do Senhor Jesus. Logo depois começou a afundar. Por quê? porque deixou de crer com a fé sobrenatural para crer com a fé emotiva, a fé do coração.

A fé emotiva é nutrida de sentidos; os olhos precisam ver, os ouvidos precisam ouvir e o paladar precisa provar para que o homem possa crer. Veja que o coração depende das informações dos cincos sentidos para tomar decisões, ja não depende da palavra e das promessas de Deus; logo, esta fé deixa de ser infalível para tornar-ser frágil, débil, não confiável e tampouco conquistadora. Porque, quando as circustâncias são favoráveis, o coração crê, mas quando as condições são desfavoráveis, então ele desaba juntamente com os sonhos e projetos. Foi o que aconteceu com Pedro: quando viu as ondas batendo em seu peito teve medo, deixou de crer com a fé sobrenatural e começou a afundar.

Essa é arazão por que muitos vivem uma vida de altos e baixos, eles creem na Bíblia e até possuem uma fé sincera, mas não conquistam por quê? Porque estão vivendo uma fé circunstancial, subordinada aos apelos momentâneos. E vivendo assim é impossivel conquistar alguma coisa. A fé sobrenatural garante o milagre, a conquista daquilo que Deus prometeu.

Na hora da luta, aquele que possui a fé emotiva não tem forças para lutar e, consequentemente, perde a oportunidade de conquistar. Todo aquele que toma uma atitude baseada na fé sentimental, pensando ser a fé sobrenatural, nada acontece. Isso porque se tomou uma decisão em cima de uma fé que não levará ninguém a lugar nenhum. Pense nisso, aja a verdadeira fé que vem de Deus, a fé sobrenatural.

Livro Fé e Sacrifício do Bispo Macedo


Fonte: http://luzparaviver.blogspot.com/

terça-feira, 7 de setembro de 2010

NÃO TENHO TEMPO


Temos vivido num mundo onde tudo é uma correria, os pais saem de casa deixam os filhos na escola e vão para o trabalho, saem do trabalho à pressa vão buscar os filhos à escola e voltam de novo ao trabalho que trouxeram para casa, é uma correria no metro, nas filas de trânsito, e tudo leva a um stress e lá vem a frase “não tenho tempo para nada”.
Quando entrei para a faculdade, era tudo experiencias novas, e sempre me diziam que nós iríamos ter tempo para tudo, tempo para estudar, tempo para divertir, etc., porem eu não conseguia ter tempo, andava sempre à pressa. Dormia e logo tinha que acordar, e tinha que estudar para os exames, raramente encontrava tempo para falar com Deus e Lhe contar as minhas dificuldades e buscar a Sua presença. Quando me perguntavam porque eu não ia à igreja eu falava que tinha que estudar e não tinha tempo. Com tanto tempo de estudo as minhas notas não reflectiam esse tempo de estudo, então achava que tinha que estudar mais ainda, e logo, menos tempo para ler a bíblia e tudo o que era de Deus ficava para traz.

Com isso eu fiquei muito cansada, segundo o medico eu desenvolvi um cansaço psicológico e não o conseguia superar, eu parava para estudar mas nada entrava na minha cabeça.

Foi aí que eu parei para pensar, e li uma palavra em Mateus 12:30 “Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha” entendi nessa palavra que sem Deus eu não iria conseguir então comecei a organizar os meus dias, tal como tinha um horário para as aulas eu criei um horário da minha vida. Separei horas específicas para cada disciplina separei horas para dormir, separei horas para comer, separei horas para descansar e o mais importante separei horas para Deus, para ir à igreja, para ler a bíblia, para meditar na bíblia e para ouvir as mensagens de fé que sempre temos acesso.

Com menos horas de estudo eu consegui aprender mais. A minha comunhão com Deus passou a ser maior, deixei de andar cansada, conseguia aprender com mais facilidade e até entender a matéria mais facilmente. Mesmo o meu horário para dormir mudou, porque eu conseguia descansar mais durante o pouco tempo de sono.
Porque eu comecei a ter tempo para Deus, o próprio Deus começou a cooperar comigo. As minhas notas melhoraram consideravelmente e naquele ano (o último ano) consegui aprender mais do que em todos os outros até então.

Separe tempo para Deus e você vai começar a ver Deus a cooperar consigo!

Na fé,
Alzira

O VERDADEIRO AMIGO